Cotidiano

Prefeitura divulga programa de isenção fiscal para empresários em feira de negócios

Publicado

na

Da redação (com informações da assessoria)

 

A Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Econômico apresenta seu plano de incentivos fiscais, Pró-Cuiabá, para atrair empresas à Capital, durante os três dias da EXPOECOS-MT – maior feira do Centro Oeste voltada à cadeia produtiva de abastecimento da Indústria, Atacado, Varejo e Food Service – que acontece no Centro de Eventos do Pantanal entre os dias 4 e 6 de junho.

Com descontos em impostos que variam de 50% a 100%, por períodos entre três e 10 anos, o programa fomenta a geração de emprego e renda na cidade. “Temos avançado na divulgação do projeto, que impacta diretamente na economia. Então, ao nos aproximarmos desses empreendimentos, visamos à contrapartida de investimentos em Cuiabá”, explica a titular da Pasta, Débora Marques.

Ela também fala sobre a possibilidade de beneficiamento de empresas locais que possuem projetos de expansão. Os interessados podem procurar a Secretaria, onde serão dados todos os encaminhamentos. “Estes esforços fazem parte do plano de gestão do prefeito Emanuel Pinheiro que tem atuado para facilitar a chegada de novos investidores a Cuiabá”, diz.

Leia Também:  Começa hoje segunda fase do eSocial para empresas de médio porte

No stand da Pasta o acesso ao Sine Municipal também é facilitado. Assim, as empresas que venham a se instalar na cidade ou que já estão aqui podem disponibilizar suas vagas em um vasto cadastro de profissionais. “É o nosso R.H. Ali são feitos os filtros específicos para cada vaga e perfil de contratado.”

Com relação ao Pró-Cuiabá, Débora destaca que o valor dos descontos é diferente para cada empresa, podendo variar de acordo com seu porte, área de atuação e quantidade de postos de trabalho gerados.

Para a solicitação do benefício scal, a empresa terá que apresentar um projeto de investimento que será analisado por uma comissão técnica formada pelas secretarias municipais envolvidas na concessão do respectivo benefício, conforme modelo denido pela Secretaria. Todos os trâmites e cadeias beneficiadas estão especificados na Cartilha Pró-Cuiabá, que pode ser acessada aqui.

O evento

A EXPOECOS-MT é o maior evento do Centro-Oeste da cadeia produtiva de abastecimento da Indústria, Atacado, Varejo e Food Service, está instalada numa área de 3.800m², com cerca de 80 estandes. Espera-se a presença de 10 mil pessoas até o último dia, entre executivos de redes (médias e grandes lojas), proprietários de minimercados, mercearias, lojas de conveniências bem como panificadoras, restaurantes e prestadores de serviço. A secretária dos 300 Anos, Cely Almeida, participou da abertura do encontro, representando o prefeito da Capital.

Leia Também:  Processo seletivo do HMC com 1.892 vagas encerra as inscrições hoje

 

 

 

Foto: Davi Valle

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cotidiano

Mato Grosso registra 100 mortes de crianças indígenas

Publicado

na

Com base na Lei de Acesso à Informação (Lei 12.527/2011), o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) obteve dados oficiais relativos à mortalidade na infância relativos a mortes de crianças indígenas de 0 a 5 anos.

Os dados parciais dão conta da morte de 825 crianças. Destas, 100 óbitos em Mato Grosso.

Os demais óbitos foram nos estados do Acre (66), Alagoas (3), Amazonas (248), Amapá (9), Bahia (16), Ceará (3), Maranhão (29), Minas Gerais e Espírito (24), Mato Grosso do Sul (51), Pará (49), Paraíba (4), Pernambuco (17), Paraná (11), Rio Grande do Sul (18), Rondônia (7), Roraima (133), Santa Catarina (7), São Paulo (6) e Tocantins (24).

Os dados fazem parte do relatório “Violência contra os povos indígenas do Brasil – 2019”.

“O maior número de mortes se deu entre crianças do sexo masculino, com 447 óbitos, sendo que os casos de crianças do sexo feminino foram 378”, apontou relatório.

O Estado do Amazonas registrou o maior número de óbitos de crianças indígenas, com 248 ocorrências, seguido de Roraima, 133 óbitos. “Mato Grosso vem a seguir, com o registro de 100 óbitos de crianças, especialmente entre o povo Xavante, com 71 mortes”, reforça.

Conforme o Cimi, as diversas mortes ocorreram por doenças tratáveis, como broncopneumonia, desnutrição, diarreia, malária ou pneumonia. Um total de 114 crianças vieram a óbito por diferentes tipos de pneumonia.

Outras 53 morreram por diarreia e gastroenterite de origem infecciosa presumível. O órgão de assistência à saúde registrou também 28 óbitos de crianças por morte sem assistência.

Fonte: Diário de Cuiabá

Leia Também:  Locar cumpre exigência da Prefeitura de Cuiabá e apresenta nova sede
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA