Polícia prende 2 fiscais por extorquir dono de peixaria em VG; prefeitura exonera funcionários

Por Rafael Medeiros

Dois fiscais da Vigilância Sanitária em Várzea Grande foram presos. Um estava sendo procurado, suspeito de concussão e associação criminosa.

A dupla foi presa em flagrante, na noite desta segunda-feira (27), após exigir R$ 4 mil de um empresário para emitir um alvará de funcionamento á uma peixaria, no bairro Jardim Aeroporto, em Várzea Grande.

A equipe da Delegacia Especializada de Roubo e Furtos (DERF) foi acionada, com denúncias de que os servidores estavam extorquindo o comerciante para emitir o alvará de funcionamento.

Diante da denúncia, os investigadores localizaram o fiscal Nélio Flores de Freitas, idade não revelada, dentro do estabelecimento dizendo que “o combinado pra deixar isso aqui aberto era quatro mil e você vem com dois mil?”.

Os policiais encontraram um envelope no balcão com a quantia de R$ 2 mil. A vítima relatou que “não aguentava mais a pressão dos fiscais que lhe extorquiam há dias”.   [vídeo no final da matéria] 

A denúncia aponta ainda que os fiscais passavam em seu estabelecimento para lhe exigir dinheiro, mas que também pegavam produtos. O estabelecimento foi interditado pelos servidores , no dia 17 de maio, sendo imposta uma multa de R$ 12 mil. No entanto, na data de 22 de maio, se deslocou até a Vigilância Sanitária, onde o superintendente Erick William Pinto e o chefe de fiscalização “prometeram” reabrir o estabelecimento caso lhe pagasse propina.

Diante do flagrante, os fiscais foram presos e levados para Delegacia de polícia da Derf-VG. Um terceiro servidor, identificado como Lucio Cunha de Moraes, também foi apontado envolvido no esquema, e estaria em Santa Catarina. O caso é investigado pelo Delegado Guilherme de Carvalho Bertoli.

Em nota, a Secretaria de Comunicação Social de Várzea Grande esclareceu que a administração municipal está ciente dos fatos e que irá demitir o superintendente da Vigilância Sanitária de Várzea Grande, Erick William Pinto, e o gerente do órgão municipal, Lúcio Cunha de Moraes, acusados do crime de extorsão.

Leia na integra:

A Secretaria de Comunicação Social de Várzea Grande em decorrência de fatos envolvendo servidores do Poder Executivo Municipal esclarece:  

* Três servidores da Saúde Pública estão sendo acusados da prática de crime de concussão, inclusive com prisão em flagrante delito:

* A Procuradoria Geral de Várzea Grande e o Jurídico da Secretaria de Saúde Municipal tomaram ciência do ocorrido na noite da última segunda-feira, 27 de maio, e estão sendo cientificados dos fatos para eventuais providências e correção dos prejuízos as vítimas: 

* Como existe ocupante de cargo comissionado, os mesmos serão demitidos dos mesmos e afastados de suas funções durante as apurações: 

* Como se trata de crime, foi determinada pela Secretaria de Saúde, a instauração do devido PAD – Processo Administrativo Disciplinar, no caso de servidores concursados ou estáveis que seguirá no mesmo ritmo das investigações realizadas pela Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, resguardando o direito a ampla defesa e ao contraditório de todas as partes envolvidas. 

As Secretarias de Comunicação Social, de Saúde, da Controladoria Geral e da Procuradoria Geral, todas de Várzea Grande reafirmam o compromisso da atual gestão com as investigações e possíveis punições, rejeitando qualquer tipo de ação, venha ela de onde vier, contra Várzea Grande e sua população e defende as apurações rigorosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *