Caminhada prevê a sensibilização ao esclarecer assuntos sobre a adoção

Da redação (com informações da assessoria)

 

 

Uma caminhada pelo futuro de crianças e adolescentes e pela sensibilização em nome do amor. É com este objetivo que a Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (Ampara), em conjunto com o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), realiza a “Caminhada da Adoção”. O evento, que encerra a Semana da Adoção, ocorre neste sábado (25.05), às 17h, no Parque das Águas, em Cuiabá.

Conforme explica a presidente da Ampara (Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção) – entidade organizadora do evento –, Lindacir Rocha Bernardon, dezenas de pessoas são aguardadas no local. Isto, no intuito de receberem informações em prol de desmistificar o tema adoção ao esclarecer questões frequentes, assim como desconstruir mitos e preconceitos que ainda pairam na sociedade.

“No dia 25 de maio é celebrado o ‘Dia Nacional da Adoção’. Todos os anos nós realizamos a ‘Caminhada da Adoção’, que completa 10 anos em 2019. Ela representa o fechamento de uma série de ações voltadas ao tema. Convidamos todos a participarem – famílias adotivas e simpatizantes pela causa. Esse é um momento para caminharmos e darmos informações sobre adoção. No encerramento, teremos um lanche partilhado”, esclarece.

ADOÇÕES TARDIAS – Além de estimular a adoção, outro ponto específico que será abordado no encontro é o incentivo para as chamadas adoções tardias. Nesse grupo, constam crianças com mais de três anos, adolescentes, aqueles com necessidades especiais e também grupos de irmãos que a Justiça busca não separar.

Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), no Brasil há seis vezes mais pessoas habilitadas à adoção do que crianças e adolescentes em condições de serem adotados. No entanto, mesmo assim, são aproximadamente seis mil menores em abrigos esperando uma família, o que acontece porque muitos adotantes procuram crianças bem pequenas ou recém-nascidas

De acordo com dados estatísticos do Cadastro Nacional da Adoção, do CNJ, até o final de abril, havia mais de 45.900 pretendentes, e mais de 9.500 crianças disponíveis para adoção. Do total de crianças, 67,6% têm idade entre sete e 17 anos; 49,5% são pardas; 55,34% têm irmãos; e 25% possuem algum problema de saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *