Mulher é “esmurrada” por PMs em Fórum de Cuiabá

Por Rafael Medeiros

Após desacatar a Polícia Militar, uma mulher de 34 anos foi derrubada e agredida com socos no rosto, desferidos por PMs na última terça-feira (14). A ocorrência foi registrada por volta das 11h30, em frente ao Fórum de Cuiabá e foi presenciada por diversas pessoas, inclusive pelo advogado criminalista Waldir Caldas – candidato ao Senado nas últimas eleições pelo Novo e ainda integrante da Comissão de Direito Carcerário da Ordem dos Advogados do Brasil – que decidiu acompanhar o caso.

Procurada pelo O Bom da Notícia, Camila Carvalho Leite disse que havia acabado de deixar uma audiência na vara cível.

Desempregada e sem advogado, ela foi ao Fórum ‘com cara e coragem’ pedir pensão alimentícia para os dois filhos, de um e outro de três anos.

Durante a audiência, o ex-marido teria se proposto a pagar R$ 200 mensais para os filhos, porém, ela não concordou e se encaminhou até o estacionamento do Fórum. Revoltada com o pedido negado quanto ao valor da pensão, por conta dos filhos, Camila admite que ‘teria se descontrolado’ e esmurrado o veículo da advogada do ex-marido, sob a justificativa que advogada do marido teria debochado dela.

Sob emoção, Camila confirma também que xingou os policiais, ao descobrir que eles foram acionados pela advogada. Mas que nunca esperaria de uma autoridade policial aquela reação, ao revelar que os PMs sargento Moisés dos Santos Gomes da Silva e soldado Emerson Novais de Souza começou a desferir uma série de cotoveladas em suas costas e socos na boca, com tamanha agressividade que chegou a desmaiar.

A mulher foi socorrida pelo advogado criminalista Waldir Caldas [que foi inclusive candidato ao Senado nas últimas eleições pelo Novo] e ainda integra a Comissão de Direito Carcerário da OAB-MT. Caldas presenciou as agressões e resolveu assumir o caso [as agressões, agora, igualmente, a luta pela pensão alimentícia e, em caso de desacato de sua cliente aos PMs].

Camila passou por atendimento médico na Policlínica do Verdão e foi encaminhada à Central de Flagrantes da Capital.

Camila foi autuada por desacato a autoridade. Segundo o artigo 331 do Código Penal, é crime “desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela”.

Outro lado

Conforme a narrativa do sargento, além de xingar os PMs a mulher teria reagido ao ser segurada por eles, para que a advogada deixasse o local em seu veículo. Alegaram ainda que ela feriu a boca ao cair, enquanto tentava escapar dos policiais. A Corregedoria da Polícia Militar foi acionada e vai investigar o caso.

O Bom da Notícia procurou a assessoria da PM, que até o momento não respondeu os e-mails enviados. O espaço segue em aberto.

Fonte: O Bom da Notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *