Polícia procura por assassinos de adolescentes encontradas mortas em lavouras

Rafael Medeiros, da Redação

Adolescentes torturadas e mortas a tiros foram sepultadas na manhã de sábado (4), na cidade de Sapezal (480 km a Noroeste). Os corpos de Marya Eduarda Magalhães Marçal, 17, e da amiga Tainara Inácio dos Santos, 16, foram localizados em adiantado estado de decomposição, no meio de uma lavoura de algodão, em propriedade distante cerca de 10 quilômetros da sede do município, na manhã de sexta-feira (3).

De acordo com médicos legistas, Tainara estava grávida de três a quatro meses. Segundo o delegado Valmon Pereira da Silva, familiares haviam procurado a Polícia informando que as duas jovens haviam desaparecido no último sábado (27), por volta das 17h30, e não mantiveram mais contato.

Os corpos foram localizados por volta das 11h, por funcionários da fazenda Tucunaré. Apesar do estado de decomposição, foram identificados sinais de tortura e de disparos de arma de fogo na cabeça e corpo das jovens. Os corpos passaram por necropsia na cidade de Campo Novo dos Parecis.

Durante a semana, várias denúncias sobre o possível paradeiro das vítimas foram feitos à Polícia, com a realização de diligências, mas sem resultado. Pelas características da violência empregada pelos assassinos, uma das hipóteses é de que a ordem das execuções tenha partido de facção criminosa, decorrente de algum acerto de contas.

O delegado salienta que ainda é muito cedo para apontar o que motivou o duplo homicídio das jovens. Mas o fato de ambas terem histórico de envolvimento com pessoas ligadas ao crime organizado, pode ter contribuído para este triste desfecho.

Valmon orienta os pais para que redobrem a atenção e os cuidados em relação as companhias dos filhos, o que pode evitar uma tragédia semelhante a essa, a perda de vidas de forma violenta.

Os corpos foram velados entre às 6h e 8h do sábado (4) na capela da Funerária São José e sepultadas em seguida, no cemitério da cidade.

Informações que possam ajudar a solucionar o duplo homicídio podem ser repassadas pelo disque denúncia da Polícia Civil através do 197, e pelos telefones da delegacia de Sapezal (65) 99640-4142 ou (65) 3383-3038.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *