Deputado defende que indígenas pratiquem monocultura

Instituído no governo de Getúlio Vargas para gerar reflexão a cerca da preservação dos valores culturais dos indígenas, ontem (19), se comemora o Dia do Índio. Eles são comumente responsáveis pela alimentação da tribo por meio da chamada agricultura de subsistência.

 

Na contramão do que se espera, o governo de Jair Bolsonaro (PSL) visa fomentar que os indígenas se adaptem à monocultura, principalmente de soja. Um de seus aliados e correligionário, o deputado federal Nelson Barbudo, apontou que o desejo é que os indígenas tenham autonomia para produzir na sua terra e vender a produção.

 

“A minha política e a política de Jair Bolsonaro é nessa direção. A etnia que não quiser trabalhar, parabéns, ela vai ficar no seu mundo, na sua floresta, vivendo de caça e pesca. A etnia que quiser trabalhar, parabéns, vai ter todo apoio do deputado Nelson porque estou capitaneando essas medidas”, disse.

 

O próprio presidente fez uma transmissão ao vivo em seu Facebook nesta quarta-feira (17). Ele recebeu um grupo de indígenas das etnias Parecis, de Mato Grosso, além de Macuxi, de Roraima, Xucuru, de Pernambuco, e Yanomamis, do Amazonas.

 

“O que nós pudermos fazer para que vocês tenham autonomia sobre todo o perímetro geográfico de vocês, nós faremos”, afirmou Bolsonaro na ocasião.

 

De acordo com informações do Instituto Socioambiental (ISA), os territórios indígenas correspondem a 13% das terras de todo o território nacional. Em Mato Grosso, são 79 territórios demarcados.

 

Crédito: Gazeta Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *