Pinheiro diz que “Mauro deveria dar graças a Deus de não tornar PS em um VLT”

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) reagiu contra o governador Mauro Mendes (DEM), após declaração do chefe do Executivo de que caberia apenas ao município encontrar uma solução para o imbróglio, envolvendo a Santa Casa de Misericórdia, que paralisou suas atividades na última segunda-feira (11).

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (15), Emanuel disse que o governador deveria dar ‘graças a Deus’ por ele não ter transformado o novo Pronto Socorro de Cuiabá em um ‘novo VLT’. Segundo ele, em sua gestão, a prefeitura viabilizou R$ 11 milhões em Brasília para continuar a obra, que foi lançada por Mendes enquanto respondeu pela prefeitura, nos anos de 2012 a 2016.

“O Mauro deveria dar graças a Deus por eu ter conseguido R$ 11 milhões em Brasília. Eu disse a ele: você ia ter esse dinheiro pra terminar o novo hospital municipal pronto socorro? Não. Você que iniciou essa obra. Eu podia fazer dela um novo VLT e ficar só ‘jogando pedra’ em você, porque eu recebi essa obra paralisada há seis meses, o mais fácil era fazer daquilo um VLT. Mas quando fui candidato eu sabia da realidade, declarou o prefeito, se esconder seu descontentamento com o governador.

Principalmente, depois que o chefe do Executivo estadual deixou que Pinheiro resolvesse o imbróglio com a unidade filantrópica que alega que o município não lhe repassou R$ 3,6 milhões para custeio de despesas emergenciais. E a resposta de Pinheiro, por sua vez, que seria a Santa Casa que estaria devendo à prefeitura R$ 24,8 milhões.

Mauro ao ser questionado sobre a possibilidade de mediar a negociação entre o município e a unidade ou eventualmente ajudar financeiramente a Santa Casa, sinalizou que há dificuldades, voltando a citar que o Estado enfrenta uma série de problemas na área da Saúde, especialmente em função de repasses em atraso aos municípios e outras unidades no interior do Estado.

O prefeito afirmou que solicitou ao Palácio Paiaguás R$ 81 milhões devidos pelo ex-governador Pedro Taques (PSDB), de um acordo amarrado no início do ano passado, em reunião entre Taques, Emanuel e a bancada federal, ocorrida em Brasília em 2018. Quando o governador prometeu que estes recursos por meio de emendas dos deputados federais por Mato Grosso, que inicialmente seriam repassados para Cuiabá, fossem utilizados pelo Estado de forma emergencial na Saúde, sob a promessa, entretanto, que até o final do ano, o valor seria repassado de volta à prefeitura. O objetivo era usar o valor na construção do novo Pronto Socorro.

Ainda que Emanuel tenha conseguido assegurar, por meio da intermediação do senador republicano, Wellington Fagundes, R$ 100 milhões do Programa Chave de Ouro, junto ao ex-presidente Michel Temer (MDB) para que fossem investidos em equipamentos e na finalização do hospital.

“Quando venci a eleição, fui pelo caminho mais difícil porque a população precisa e esse foi meu compromisso. Então, repito, eu disse ao governador que ele nos ajudasse com o crédito de R$ 81 milhões para ajudar no custeio. Você vai negar essas míseras 30 parcelas de R$ 2,7 milhões? Então, ele desarmou o espírito, tirou muito do veneno, ficou um pouquinho ainda, mas combinamos de sentar pra conversar mais”, ainda disse Pinheiro.

“Mauro Mendes foi prefeito de Cuiabá. Ele sabe. Eu cansei de conversar sobre a Santa Casa com Mauro. Agora, num Estado em crise, eu tenho que compreender e dar minha parcela de contribuição, e estou dando, mas tenho certeza que o Mauro não vai fugir à luta. Vai ser parceiro e juntos vamos dar um novo rumo à Santa Casa”.

Conforme divulgado pela prefeitura, a Santa Casa possui mais de 600 pacientes em tratamento oncológico, sendo que 130 adultos e 21 crianças fazem tratamento radioterapia, e 479 adultos realizam tratamento quimioterápico. A solução imediata encontrada pela prefeitura foi remanejar os pacientes para os hospitais de Câncer e Geral Universitário.

Conforme Emanuel, esses atendimentos já começaram a ser feitos. Ainda será encaminhado aos municípios que possuem paciente na Santa Casa o cronograma com reagendamento de consultas e tratamentos devido à transferência para as outras duas unidades.

Crédito:

Ana Adélia Jácomo e Alexandra Freira – O Bom da Notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *