Política

Governo mantém identidade visual; economia deve ser de R$ 68 mi

Publicado

na

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), decidiu manter na atual gestão a identidade visual implantada na administração anterior, no intuito de trazer economia aos cofres do Estado.

 

Conforme o levantamento feito pela Secretaria Adjunta de Comunicação (Secom), que embasou a decisão do governador, uma nova mudança na identidade visual (englobando marca, slogan, brasão, cores, pinturas de fachadas, adesivagem de carros e crachás para todas as secretarias e órgãos) custaria mais de R$ 68,8 milhões ao Estado, sem contar os custos com papelaria.

 

A criação de nova identidade visual demandaria, por exemplo, a adesivagem de pelo menos 3.917 veículos, pintura de 1.758 fachadas, confecção de 3.145 materiais de comunicação interna, troca de 12.459 crachás e confecção de 26.513 uniformes.

 

Mendes afirmou que o cidadão não tolera mais a cultura do personalismo político, em que a cada troca de comando o novo gestor muda a identidade visual para “deixar o Governo com a sua cara”.

Os recursos públicos precisam ser aplicados em prol do cidadão, não para promover os gestores que temporariamente estão à frente do Governo

Leia Também:  ‘Todos os servidores voltarão a receber o prêmio saúde’, diz Pinheiro

“O que temos visto, gestão após gestão, é essa prática equivocada, da velha política, de gastar dezenas e até centenas de milhões de forma totalmente desnecessária. Os recursos públicos precisam ser aplicados em prol do cidadão, não para promover os gestores que temporariamente estão à frente do Governo”, criticou.

 

O governador afirmou que, além de trazer gastos milionários ao Executivo, a criação de nova identidade visual também implicaria no descarte de todo o material existente que contém a marca da gestão passada.

 

“Ou seja, teríamos um desperdício gigantesco de materiais que já foram produzidos, o que é um verdadeiro desrespeito ao contribuinte. Nós vamos utilizar tudo: canetas, crachás, blocos, uniformes, papelaria, até chegarem ao fim, antes de produzirmos mais. Estamos fazendo um grande esforço para aumentar a arrecadação e diminuir despesas, e um novo gasto nessa ordem seria impraticável e incoerente”, explicou.

 

Mudança na lei

 

O governador afirmou que tem trabalhado em um projeto de lei para regulamentar essa questão, de modo a instituir uma identidade visual única para o Estado, com a proibição de mudança a cada nova gestão.

Leia Também:  Mauro Mendes cobra do Governo Federal ajuda do Exército no combate aos incêndios

 

A identidade visual de Governo, todavia, não deve ser idêntica aos símbolos oficiais, a exemplo do hino, da bandeira e do brasão, que são símbolos de Estado, e não de Governo.

 

“Vamos encaminhar em breve esse projeto para a Assembleia Legislativa. A identidade visual deve identificar o Governo, e não gestão A ou gestão B”, concluiu.

 Credito: Midia News
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Em VG, Procurador Mauro lidera nas intenções de voto; veja também índice de rejeição

Publicado

na

Nova rodada de pesquisa de intenção de voto para prefeito, realizada em Várzea Grande pelo instituto Olhar Dados e publicada com exclusividade por Olhar Direto, mostra que o candidato do PSOL, Procurador Mauro, lidera também as intenções de voto para o Senado. Já no quesito rejeição, quem tem a maior desaprovação dos entrevistados da ‘Cidade Industrial’ é o ex-governador Pedro Taques (SD).
 
No cenário estimulado, modalidade em que o nome dos candidatos é apresentado ao entrevistado, Procurador Mauro aparece na liderança, com 15,6% das intenções de votos. Logo em seguida, vem: Pedro Taques (9,7%); Nilson Leitão (5,1%); Elizeu Nascimento (2,8%); Carlos Fávaro (2,8%); Cel Fernanda (1%); José Medeiros (1%); Euclides Ribeiro (0,8%) e Valdir Barranco (0,5%).
 
Porém, a indefinição ainda reina na cabeça da maioria dos entrevistados, segundo mostra a pesquisa. Isso porque, do total, 57,2% não souberam ou preferiram não responder quando questionados. Outros 3,3% votariam em branco, nulo ou nenhum.

Já no cenário espontâneo, onde o nome dos candidatos não é apresentado, Pedro Taques é quem lidera, com 3,6% das intenções de votos. Depois, aparecem: Procurador Mauro (2,1%); Nilson Leitão (1,8%); Elizeu Nascimento (1%); Carlos Fávaro (1%); Jaime Campos (0,8%); Euclides Ribeiro (0,3%) e Julio Campos (0,3%).
 
Nesta modalidade, a indefinição quanto a um candidato é ainda maior, com 89% dos entrevistados que não souberam ou preferiram não responder. Além disto, 0,3% disseram que votariam em branco, nulo ou nenhum.

No quesito rejeição, quem tem a maior desaprovação dos entrevistados é o ex-governador Pedro Taques, com 8,2%. Na sequência, aparecem os nomes de: Nilson Leitão (7,4%); Carlos Fávaro (3,6%); José Medeiros (2,6%); Procurador Mauro (2,3%); Euclides Ribeiro (0,8%); Elizeu Nascimento (0,8%); Cel Fernanda (0,5%); Valdir Barranco (0,3%); Reinaldo Moraes (0,3%) e Feliciano Azuaga (0,3%).
 
Deste total de entrevistados, 71,8% não souberam ou preferiram não responder ao questionamento. Além disto, outros 1,3% optaram pela opção nenhum, branco ou nulo.

A pesquisa
 
O levantamento Olhar Dados é produzido e publicado com exclusividade pelo portal Olhar Direto. Neste segundo levantamento em VG, o instituto realizou 309 entrevistas entre os dias 26 e 28 de setembro para captar a percepção geral da população a respeito do cenário eleitoral de 2020. A pesquisa é quantitativa com técnica survey de opinião.
 
O levantamento está registrado junto à Justiça Eleitoral sob a inscrição MT-07722/2020. A margem de erro é 5,0 pontos percentuais para mais ou para menos. Os resultados das tabelas foram arredondados pelo programa para totalizarem 100%.

Fonte: Olhar Direto
Leia Também:  Riva e Funaro atuam no ramo de pedras preciosas, diz revista
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA