Primeira Edição do projeto Luta é Vida teve grande participação da comunidade

O Complexo Esportivo Dom Aquino foi palco no último sábado (23) da 1ª Edição do Projeto Luta é Vida da Prefeitura de Cuiabá em parceria com o Fórum da Capoeira de Mato Grosso e as Federações de Jiu-jítsu e Muay Tay. O evento teve grande participação da comunidade que teve a oportunidade de conhecer e praticar as três modalidades e teve como objetivo fazer a integração dessas artes marciais, onde adeptos e praticantes das modalidades estiveram reunidos como forma de integração de conhecimentos, além de oportunizar a população a conhecer as técnicas, os benefícios e os locais onde são ofertadas as atividades. “Esse primeiro encontro foi apenas o pontapé inicial do projeto, pois temos a intenção de realizar a atividade a cada três meses, com outras modalidades de esporte. Queremos expandir as artes marciais que estão ganhando cada vez mais adeptos, além de incentivar a população a praticar algum tipo de atividade física”, disse o secretário adjunto de Esportes, Edilson Odilon.

“Chutes rápidos capazes de derrubar qualquer barreira”, essa é a definição da bicampeã nacional e vice-campeã de muay tay, Inaléia Ferreira que procurou a técnica para emagrecer há quatro anos. Além da perda de peso, cerca de 50 kg, hoje é destaque no esporte. Apesar das dificuldades enfrentadas no início, ela recomenda para todos. “Indico para qualquer pessoa, não tem idade, não tem peso, basta querer mudança. A arte marcial mudou minha vida em 100%, é bem dinâmico. Sou realizada”, disse ela.

Luiz, mais conhecido como timão, professor de jiu jitsu é o coordenador do projeto. Segundo ele, a proposta é trazer mais próximo da comunidade, as formas de lutas existentes, para que as pessoas possam ter uma vivência. “Com essas aulas gratuitas a população terá a oportunidade de perceber os benefícios cardiorrespiratórios, a exemplo do jiu jitsu, que por ser um treino bastante mental, ajuda na ansiedade e no controle do stress. Com isso, estaremos devolvendo para as comunidades as vantagens de se praticar um esporte”, destacou.

Seidhe Luiza, 39 anos, já pratica a capoeira há algum tempo, mas quando ficou sabendo do projeto quis conhecer como funciona o jiu jitsu. “Independentemente da arte ou modalidade escolhida, o que vale é a prática de uma atividade física para cuidar da saúde e ter mais qualidade de vida. O difícil é dar um primeiro passo, depois você acostuma e não consegue ficar sem praticar. Todos devem buscar uma modalidade”, afirmou.

O representante do Fórum da Capoeira de Mato Grosso, contra mestre Bira agradece o apoio da Prefeitura, que segundo ele, tem dado todo suporte necessário para realização de eventos e para o fortalecimento da classe no estado. “Estamos agradecidos com esse projeto da Prefeitura, é a forma que temos para trabalhar a unicidade das modalidades das artes marciais. Com isso, cada vez mais adeptos irão se juntando aos grupos hoje existentes. Estão todos convidados a conhecer a capoeira”, declarou.

De acordo com o secretário, a ação faz parte dos preparativos para outro grande evento, que será o maior da região Centro-Oeste, o Capoeira Digoreste.

“Mais uma ação de valorização da cultura e também do esporte. Desenvolvida junto com os meninos do Fórum, o evento faz parte das ações de outro grande acontecimento, que é essa reunião de capoeirista em abril, durante comemorações do aniversário do tricentenário da cidade”, finalizou Edilson.

 

 

 

 

Credito: Assessoria Prefeitura de Cuiabá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *