CORRUPÇÃO NA ESPLANADA: Ministro quer ‘Lava Jato da Educação’. Confira outras informações na coluna JPM

DESVIOS E CORRUPÇÃO

Em reunião realizada recentemente, o  ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, anunciou, que uma investigação interna sobre atos das gestões anteriores encontrou indícios de corrupção e desvios que poderão dar origem à Lava Jato da Educação“. .Um comunicado da pasta também aponta a suspeita de concessão ilegal de bolsas de ensino a distância, sem especificar em quais programas, e irregularidades em universidades federais, sem dizer de qual natureza. Estavam presentes na reunião outros membros da equipe de Jair Bolsonaro: os ministros da Justiça, Sergio Moro, da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, e da Advocacia Geral da União (AGU), André Mendonça. Também participou o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo

 

MANIFESTO

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge recebeu  um manifesto assinado por procuradores pedindo  por independência funcional. O número de subscritores do manifesto, 619, ultrapassou a maioria absoluta dos membros da instituição, 1.151. Na lista estão o coordenador da Operação Lava Jato, no Paraná, Deltan Dallagnol, a procuradora Thaméa Danelon, da Lava Jato em São Paulo, e o procurador regional da República José Augusto Vagos, da Lava Jato no Rio.No documento, os procuradores apontam “preocupação” com o projeto Raquel Dodge. A proposta estabelece a criação de “ofícios especializados de atuação concentrada em polos”

PROJETO RADICAL
Os procuradores classificam como “radical” um projeto apresentado por Raquel Dodge, que muda critérios de distribuição de investigações dentro do Ministério Público Federal. Na avaliação dos procuradores, a mudança vai concentrar “nas mãos da cúpula da instituição um enorme poder e pode vir a resultar, em algum momento, como efeito colateral deletério, na criação de mecanismos de ingerência, ainda que de forma indireta, sobre a atuação dos Procuradores da República, em prejuízo de sua plena independência para atuar”.

 

FOTOS DE LULA: QUEM DA MAIS?

Para atenuar a penúria financeira em razão de um processo que investiga a compra de um terreno para a entidade pela Odebrecht, no valor de R$ 12,2 milhões, o Instituto Lula resolveu criar meios de sobrevivência. A entidade irá realizar um leilão, marcado para o dia 20 de março, de 50 fotografias de momentos da carreira de Lula autografadas pelo próprio. O lance mínimo será de R$ 1.313,00 e a renda será revertida para o Instituto Lula.

 

DELAÇÃO COMPLICA PT

O ex-ministro dos governos petistas Antonio Palocci, que coordenou a campanha de 2010 de Dilma Rousseff, confirmou em delação que ela foi eleita com propina da JBS, acertada por Guido Mantega e depositada para o PT em conta no exterior.Foram 150 milhões de dólares, de acordo com Joesley Batista, dono da empresa.Segundo Palocci, Joesley ainda referiu que emprestava a conta para o ex-presidente do BNDES Guido Mantega e o então tesoureiro petista João Vaccari Neto, atualmente preso, para que recebessem valores envolvendo acordos ilícitos do PT.Palocci contou que Joesley lhe ofereceu o uso dessa conta, caso o ex-ministro precisasse receber algum valor de quem quer que fosse, mas que recusou a utilização

 

SEM PRESTÍGIO

Ignorado por Bolsonaro, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno fica sem espaço na agenda da Presidência. Aliados do ministro , afirmam que ele  espera uma “saída honrosa” para a crise. Essa saída, no entanto, não estaria ainda muito clara nem mesmo para ele. Bebianno busca saída honrosa, mas  o presidente não o recebe

DEFESA

Para ameniza a crise, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (MDB-AP), saiu em defesa  do ministro Bebianno, que pode ser um dos alvos de um inquérito para apurar suspeitas de desvios de recursos do Fundo Partidário destinados ao PSL por meio de supostas candidaturas laranjas nas eleições de 2018.Com o cargo ameaçado, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, passou a quinta-feira, 14, num hotel, em Brasília, recebendo aliados. Ignorado pelo presidente Jair Bolsonaro, que não o recebeu, chegou a ter um pico de pressão no meio da tarde.A permanência de Bebianno é vista como difícil mesmo por pessoas próximas ao ministro. A negativa de Bolsonaro para recebê-lo para conversar foi vista como sinal de desprestígio.

 

PRISÃO DE EXECUTIVOS

As Polícias Civil e Militar de Minas Gerais deflagraram, na manhã desta sexta (15), operação para prender temporariamente oito executivos da Vale acusados de envolvimento na tragédia de Brumadinho. A investigação foi conduzida pelo Ministério Público do estado.O grupo é formado por quatro gerentes (dois deles, executivos) e quatro integrantes de equipes técnicas da mineradora. Todos eram diretamente envolvidos com as avaliações de segurança e estabilidade da Barragem 1, que rompeu no dia 25 de janeiro.

 

FRASE DO DIA

“Início de governo é desordenado. O atual está abusando”, disse o  ex-presidente Fernando Henrique Cardoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *