Política

Bolsonaro anuncia Bento Costa Lima Leite para o Ministério de Minas e Energia

Publicado

na

presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), anunciou na manhã desta 6ª feira (30.nov.2018) o almirante de Esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior, 60 anos, para o cargo de ministro de Minas e Energia.

Bento Costa Lima é diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha. Ele é o 20º ministro anunciado por Bolsonaro.

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

Bom dia! Comunico a indicação do Diretor Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Almirante de Esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior, para o cargo de Ministro de Minas e Energia.

6.183 pessoas estão falando sobre isso

Bento nasceu no Rio de Janeiro. Ingressou na Marinha em 1973. Fez pós-graduação em Ciências Políticas pela Universidade de Brasília; MBA em gestão internacional pela Universidade Federal do Rio e MBA em Gestão Pública pela Fundação Getulio Vargas, além de ter feito curso de Altos Estudos de Política e Estratégia da Escola Superior de Guerra.

Ocupou cargos como observador militar nas Forças de Paz da ONU em Sarajevo, Bósnia e Herzegovina, Dubrovnik, na ex-Iuguslávia; comandante da Base de Submarinos Almirante Castro e Silva; comandante em Chefe da Esquadra e secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha.

Foi assessor parlamentar para defender os interesses da Marinha no Congresso Nacional e diretor-geral da Secretaria da Junta Interamericana de Defesa em Washington.

A escolha de Bento foi elogiada pelo atual ministro de Minas e Energia, Moreira Franco:

Moreira Franco

@MoreiraFranco

Pres. Bolsonaro acertou na indicação do Almirante Bento p/ o MME. Muito bem preparado p/ as responsabilidades técnicas e de comando do setor. Conhece o funcionamento e os desafios da convivência no parlamento e é de uma família de super dotados. Ricardo Paes e Barros é seu irmão.

Veja outros Tweets de Moreira Franco

MILITARES NO GOVERNO

Já são 6 os militares nomeados para a Esplanada de Bolsonaro. Durante a campanha ao Palácio do Planalto, ele chegou a afirmar que seriam, pelo menos, 5 generais no comando de ministérios.

  • general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional);
  • Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia);
  • general Fernando Azevedo e Silva (Defesa);
  • Wagner Rosário (Controladoria Geral da União);
  • general Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo);
  • almirante Bento Costa Lima Leite (Minas e Energia).

O ministro que ficará à frente da Controladoria Geral da União, Wagner Rosário, já atuou como oficial do Exército.

MINISTROS DE BOLSONARO

Eis os nomes que já foram anunciados pelo militar para compor sua Esplanada a partir de janeiro de 2019:

Eis 1 infográfico com todos e as pastas que restam:

 

 

 

Credito:Poder360

Leia Também:  Faissal cobra Energisa e apresenta projeto que garante medidor bidirecional de energia solar
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Facebook removeu 140 mil posts com fake news nas Eleições 2020

Publicado

na

Facebook apresentou dados sobre sua atuação contra fake news nas Eleições 2020. A empresa informou que, devido a violações de sua política contra interferência eleitoral, removeu 140 mil publicações em sua principal plataforma e no Instagram. Segundo a companhia, as publicações poderiam desencorajar eleitores a comparecerem às urnas com horários errados de votação, por exemplo.

A companhia também informou ter rejeitado 250 mil anúncios sobre política ou eleições. Eles não foram veiculados porque não apresentavam rótulos “Propaganda Eleitoral” ou “Pago por”. A exigência existe no Brasil desde agosto e continuará valendo para a publicidade política nas redes sociais mesmo depois das Eleições 2020.

Para autorizar a veiculação de um anúncio político, o Facebook também exige dados sobre o autor da campanha , que deverão confirmar a identidade e a residência no Brasil. Segundo a empresa, o objetivo é garantir mais experiência para os usuários.

Durante a campanha do primeiro turno, o Facebook mostrou um aviso no topo do feed para usuários se informarem sobre protocolos sanitários previstos para o dia da votação por meio de um link para o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo a empresa, o link foi clicado por cerca de 3 milhões de pessoas.

“Nos últimos quatro anos, fizemos investimentos significativos em tecnologia e pessoas para reduzir a desinformação, e para identificar e agir mais rapidamente sobre contas e conteúdos que violam nossas políticas”, afirmou o Facebook, em seu comunicado. “As equipes trabalhando para proteger a integridade de nossos serviços triplicou desde 2016, para mais de 35 mil pessoas”.

WhatsApp removeu mil contas nas Eleições 2020

WhatsApp , outra plataforma do Facebook, informou há alguns dias ter removido mais de mil contas por disparo de mensagens em massa durante a campanha de primeiro turno das Eleições 2020 . Os números removidos foram denunciados por meio de um canal criado em parceria com o TSE.

De 27 de setembro a 15 de novembro, foram 4.759 denúncias na página do TSE . Do total, 129 foram removidas por não estarem relacionadas às eleições. As demais contas foram enviadas ao WhatsApp, que, ao desconsiderar as duplicadas e inválidas, chegou a 3.236 contas. Destas, a plataforma identificou que 1.004 violaram seus Termos de Serviço.

Os eleitores têm até 19 de dezembro para enviarem denúncias sobre disparo de mensagens em massa no WhatsApp durante as Eleições 2020. Para isso, basta acessar o formulário do TSE, disponível neste link, e incluir informações sobre o número suspeito.

 

Leia Também:  Mercados devem disponibilizar funcionário para auxiliar pessoa com deficiência visual

Fonte: iG Tecnologia

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA