Política

Bolsonaro anuncia Bento Costa Lima Leite para o Ministério de Minas e Energia

Publicado

na

presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), anunciou na manhã desta 6ª feira (30.nov.2018) o almirante de Esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior, 60 anos, para o cargo de ministro de Minas e Energia.

Bento Costa Lima é diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha. Ele é o 20º ministro anunciado por Bolsonaro.

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

Bom dia! Comunico a indicação do Diretor Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Almirante de Esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior, para o cargo de Ministro de Minas e Energia.

6.183 pessoas estão falando sobre isso

Bento nasceu no Rio de Janeiro. Ingressou na Marinha em 1973. Fez pós-graduação em Ciências Políticas pela Universidade de Brasília; MBA em gestão internacional pela Universidade Federal do Rio e MBA em Gestão Pública pela Fundação Getulio Vargas, além de ter feito curso de Altos Estudos de Política e Estratégia da Escola Superior de Guerra.

Ocupou cargos como observador militar nas Forças de Paz da ONU em Sarajevo, Bósnia e Herzegovina, Dubrovnik, na ex-Iuguslávia; comandante da Base de Submarinos Almirante Castro e Silva; comandante em Chefe da Esquadra e secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha.

Foi assessor parlamentar para defender os interesses da Marinha no Congresso Nacional e diretor-geral da Secretaria da Junta Interamericana de Defesa em Washington.

A escolha de Bento foi elogiada pelo atual ministro de Minas e Energia, Moreira Franco:

Moreira Franco

@MoreiraFranco

Pres. Bolsonaro acertou na indicação do Almirante Bento p/ o MME. Muito bem preparado p/ as responsabilidades técnicas e de comando do setor. Conhece o funcionamento e os desafios da convivência no parlamento e é de uma família de super dotados. Ricardo Paes e Barros é seu irmão.

Veja outros Tweets de Moreira Franco

MILITARES NO GOVERNO

Já são 6 os militares nomeados para a Esplanada de Bolsonaro. Durante a campanha ao Palácio do Planalto, ele chegou a afirmar que seriam, pelo menos, 5 generais no comando de ministérios.

  • general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional);
  • Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia);
  • general Fernando Azevedo e Silva (Defesa);
  • Wagner Rosário (Controladoria Geral da União);
  • general Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo);
  • almirante Bento Costa Lima Leite (Minas e Energia).

O ministro que ficará à frente da Controladoria Geral da União, Wagner Rosário, já atuou como oficial do Exército.

MINISTROS DE BOLSONARO

Eis os nomes que já foram anunciados pelo militar para compor sua Esplanada a partir de janeiro de 2019:

Eis 1 infográfico com todos e as pastas que restam:

 

 

 

Credito:Poder360

Leia Também:  Reforma exclui parlamentares, juízes, procuradores e militares
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Ricardo Salles e presidente do Ibama são alvos de operação que investiga exportação ilegal de madeira

Publicado

na

Por

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Eduardo Bim, são alvos de uma operação, nesta quarta-feira (19), que investiga a exportação ilegal de madeira para Estados Unidos e Europa.

A operação foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que também determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Salles, o afastamento preventivo de Bim do comando do Ibama e o de outros nove agentes públicos que ocupavam cargos e funções de confiança nos órgãos.

G1 tenta contato com as defesas do ministro e do chefe do Ibama, além de um posicionamento dos órgãos ambientais. Por volta das 8h, Salles chegou na superintendência da PF em Brasília.

Foram afastados os servidores do IBAMA e do Ministerio do Meio Ambiente:

  • Eduardo Bim
  • Leopoldo Penteado
  • Vagner Tadeu Matiota
  • Olimpio Ferreira Magalhães
  • João Pessoa Riograndense Moreira jr
  • Rafael Freire de Macedo
  • Leslie Nelson Jardim Tavares
  • Andre Heleno Azevedo Silveira
  • Arthur Valinoto Bastos, analista
  • Olivaldi Alves Azevedo Borges

    Na operação, Alexandre de Moraes determinou ainda a suspensão imediata da aplicação de um despacho emitido em fevereiro de 2020, que permitiu a exportação de produtos florestais sem a necessidade de emissão de autorizações de exportação.

    “Estima-se que o referido despacho, elaborado a pedido de empresas que tiveram cargas não licenciadas apreendidas nos EUA e Europa, resultou na regularização de mais de 8 mil cargas de madeira exportadas ilegalmente entre os anos de 2019 e 2020”, informou a PF.

     

    Polícia Federal cumpre mandados durante operação que investiga a exportação ilegal de madeira para Estados Unidos e Europa — Foto: TV Globo/Reprodução

    Polícia Federal cumpre mandados durante operação que investiga a exportação ilegal de madeira para Estados Unidos e Europa — Foto: TV Globo/Reprodução

    Ao todo, 160 policiais federais cumprem 35 mandados no Distrito Federal, no Pará e em São Paulo, incluindo endereços residenciais do ministro Salles em São Paulo, no imóvel funcional em Brasília e no gabinete da pasta de Meio Ambiente no Pará.

    Operação Akuanduba

    As investigações iniciaram em janeiro, segundo a Polícia Federal, a partir de informações “obtidas de autoridades estrangeiras” que noticiavam um “possível desvio de conduta de servidores públicos brasileiros no processo de exportação de madeira”.

    Segundo a PF, Akuanduba, que dá nome à operação, é uma divindade da mitologia indígena que habita o estado do Pará. Segundo a lenda, se alguém cometesse algum excesso, contrariando as normas, a divindade fazia soar uma pequena flauta, restabelecendo a ordem.

    Fonte: G1
Leia Também:  CNI/Ibope: para 75% dos brasileiros, Bolsonaro está no caminho certo
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA