Marido matar mulher com tábua de carne e trocar bens da vítima por droga

Da Redação

O marido da jovem Erica Oliveira Gomes de 22 anos encontrada morta dentro de casa no dia 19 deste mês em Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá, foi preso na noite dessa segunda-feira (24).

Firmino César, de 19 anos, confessou o crime e disse que estava sob efeito de drogas quando cometeu o assassinato. Erica estava dormindo quando foi morta pelo marido, que a golpeou com uma tábua de carne.

De acordo com a Polícia Civil, Firmino teve a prisão preventiva decretada pela Justiça na segunda-feira e foi preso enquanto fazia exames de corpo de delito já previstos no inquérito policial.

Erica Oliveira Gomes foi assassinada em Barra do Garças — Foto: Facebook/Reprodução

Na última sexta-feira (21), o jovem se apresentou na delegacia e confessou o crime. Naquele dia, por não estar em período de flagrante para ser preso e não estar com a prisão decretada, Firmino foi liberado pela polícia.

Versão do marido

Nesta terça-feira (25), o marido confessou à imprensa o crime e deu detalhes do caso. Ele afirmou que estava sob efeito de drogas e não dormia há três dias quando cometeu o assassinato.

“Queria pedir perdão à sociedade e aos familiares pelo que eu fiz. Todo mundo sabe que eu a amava ela e ela me amava. Eu queria falar para os jovens que estão entrando no mundo da droga que saiam enquanto há tempo, que não façam uma burrice que igual a que eu fiz. Não destrua sua vida”, declarou.

Firmino César está preso na delegacia da Polícia Civil em Barra do Garças — Foto: Lucas Iglesias/Centro América FM

Firmino contou que o relacionamento com Erica era tranquilo e que ela não deixou que ele saísse da casa para consumir mais droga.

O suspeito afirma que a vítima trancou a casa e escondeu a chave embaixo do travesseiro na cama, onde foi dormir. Ele diz que se lembra de ter atacado a vítima, usando a tábua de carne, mas atribuiu o ato à dependência da droga. Ele disse que se arrependeu e se diz usuário de crack desde os 17 anos.

Delegado

Durante interrogatório, ele disse que matou a mulher durante uma divergência porque ele queria sair de casa para usar drogas. Para o delegado Heródoto Fontenele, a versão de que Firmino estaria sob efeito de drogas é mentira.

“Ele é muito minucioso e detalhista. Não acredito que ele estava sob uso de droga”, afirmou.

O suspeito disse que conheceu Erica quando saiu do presídio em Água Boa, a 736 km da capital, onde cumpria pena por furto. Firmino conheceu a vítima antes de passar por uma clínica de reabilitação em Goiânia.

“Ela acreditava na recuperação do marido. Ele começou a usar droga do dia 14 até o dia 17. Um dia depois o crime ocorreu”, lembrou Fontenele.

Depois de fazerem uma refeição, Erica foi dormir.

“Ele fez uma revelação, até de forma fria, de que foi até a cozinha, pegou a tábua, calculou se aquela tábua era o suficiente para matar a menina, e deu três golpes nela”, contou.

Firmino afirmou ao delegado que roubou o celular, a motocicleta, o notebook e o capacete da vítima para trocá-los por droga em uma boca de fumo.

O marido ainda será encaminhado para audiência de custódia e levado para a cadeia pública de Barra do Garças. Ele responderá criminalmente por homicídio triplamente qualificado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *