Simininas recebem palestras sobre bullying em unidade do Distrito da Guia

A unidade do Siminina do distrito da Guia recebeu a equipe da Polícia Civil, nesta quarta-feira (15), para uma palestra educativa para as 70 meninas inseridas no programa. A instituição responsável coordena projetos sociais didáticos, como “De Cara Limpa Contra as Drogas”, “Rede Digital pela Paz” e “De Bem com a Vida”. Nesta ocasião, a dinâmica de um hora contou com conversas, ilustrações, vídeos e orientações a respeito do bullying, prática de atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetitivas, cometidos por um ou mais agressores contra uma determinada vítima.

Segundo a coordenadora do projeto “De Cara Limpa Contra as Drogas”, Laura Lea, um dos principais problemas que existe nas escolas, além das drogas, são os constantes casos de bullying. Ela destaca que muitas crianças, em virtude deste tipo de agressão, acabam desenvolvendo comportamentos compulsivos e nocivos, adotando até mesmo a automutilação. Em muitas circunstâncias, a vítima chega a sair da escola, interrompe seus estudos e gradativamente passa a se excluir do convívio social.

“Um caso terrível aconteceu com uma adolescente, que mandou uma foto íntima para o namorado, que eventualmente a compartilhou pela escola inteira. Este agressor não tem dimensão da proporção que isso toma. Em poucos minutos, todos já estão debochando, proporcionando um ambiente onde o convívio social se torna impossível. E estes jovens precisam compreender a gravidade dessa atitude, entendendo também que essa violação é um crime punitivo”, alertou.

Ainda de acordo com a coordenadora, a prevenção é fundamental para que essas práticas sejam consideravelmente reduzidas, principalmente, entre os jovens. Com essa premissa consolidada, a Prefeitura de Cuiabá buscou o apoio da Coordenadoria de Polícia Comunitária e da Polícia Judiciária Civil, que realizam esse trabalho há mais de 10 anos e que já auxiliou cerca de 100 mil crianças e adolescentes.

As ações visam atuar no campo da prevenção social, no ambiente escolar e seu entorno, por meio do combate ao uso de bebidas alcoólicas e outras drogas, por parte dos adolescentes. A iniciativa ainda atende os adultos que fazem parte desse contexto, como os próprios professores, com a sala do educador.
“Conseguimos deixar a nossa mensagem todas as vezes que participamos e estamos em contato com estas crianças e jovens. Quase sempre no final das palestras os participantes nos procuram para tirar dúvidas e percebemos que, na maioria das vezes, eles desconhecem o teor do bullying, não sabendo que certas posturas são criminosas e erradas. Por isso é tão importante levar a orientação preventiva para as comunidades”, frisou.

A monitora da unidade do Siminina, Rosângela Santos da Silva, destaca que estes programas são importantes também para os professores porque, muitas vezes, ele não sabem lidar com algumas situações. Ela conta que, vez ou outra, o bullying vem mascarado como uma brincadeira aparentemente inofensiva. No entanto, o constrangimento na vítima é inerente.

“Por isso é importante termos essas palestras, conversas e orientações. As meninas começam a entender o que é certo ou errado e passam a avaliar seus próprios comportamentos em relação aos colegas. Recebemos queixas de apelidos indesejados, o que sempre nos leva a tratar o assunto com cautela e responsabilidade, orientando que nem sempre o que parece ser engraçado para um, tem o mesmo efeito no outro. Os coordenadores das unidades explicam isso com simplicidade, usando a linguagem da faixa etária, para que elas desde já estejam atentas ao que está sendo orientado e amadureçam no trato com as amiguinhas e amiguinhos”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *