Após reforma, Beco do Candeeiro deve ser palco de eventos culturais e feiras

Da Redação

Nova pintura, paralelepípedos recurados, calçadas restauradas, iluminação instalada. Nos próximos meses, o Beco do Candeeiro, primeira rua de Cuiabá, deve ser entregue totalmente revitalizado para a população. A reforma faz parte do Projeto ‘PAC Cidades Históricas’, e é feita em uma parceria do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) com a Prefeitura de Cuiabá.

De acordo com o secretário da Secretaria Extraordinária dos 300 anos (Sec 300), Junior Leite, foi aberta uma licitação de chamamento público, “em que uma empresa de publicidade, ou de eventos, será autorizada a realizar eventos no local, explorando a iniciativa privada, colocando propagandas e explorando comercialmente com feiras, apresentações e praça de alimentação”. O chamamento público do projeto ‘Eu, Candeeiro’ será publicado em no máximo vinte dias.

A Prefeitura não vai custear estes eventos, somente autorizar a empresa a usar o espaço físico como melhor entender. Por enquanto, a reforma está em realização, “Estão fazendo o piso e pintando os ladrilhos. Está em fase de acabamento”, garante o secretário.

Humanização

Desde que foi anunciada a revitalização do Beco, no dia da reinauguração do Museu da Imagem e do Som de Cuiabá (Misc), uma das preocupações do prefeito Emanuel Pinheiro foi com a população que vive no Beco. Na ocasião, ele afirmou que faria um trabalho junto a organizações, como o ‘Hip Hop Combate às Drogas’ e com representantes da População Nacional de Moradores de Rua, para buscar uma melhor saída.

Segundo Junior Leite, este trabalho também será realizado junto à Secretaria de Assistência Social e Desenvolvimento Humano. “É um problema difícil de combater. Mas com ações dessa natureza, que envolve a sociedade, coloca o espaço iluminado, com programações culturais, semanais, a ideia é tentar resgatar aquele espaço pra sociedade e a partir daí fazer a socialização dessas pessoas que estão ali. Tentar socializar esse cidadão novamente e trazê-los de volta à sociedade”, explica.

A obra

A restauração do Beco do Candeeiro faz parte do Projeto ‘PAC Cidades Históricas’. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) é uma “iniciativa do governo federal coordenada pelo Ministério do Planejamento que promoveu a retomada do planejamento e execução de grandes obras de infraestrutura social, urbana, logística e energética do país”.

Por isso, o projeto recebe verba do Governo Federal, por meio do Ministério da Cultura e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em parceria com a Prefeitura de Cuiabá. A capital mato-grossense foi a única cidade do estado a entrar no projeto, e o valor calculado de todas as obras seria de R$ 10,49 milhões.

No Brasil, o PAC Cidades Históricas está presente em 44 cidades de 20 estados, totalizando R$1,6 bilhão em investimentos em 424 ações. O Programa é uma linha exclusiva do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), criada em 2013 para atender os sítios históricos urbanos protegidos pelo Iphan, proporcionando a revitalização das cidades históricas, a restauração dos monumentos e a promoção do patrimônio cultural, com foco no desenvolvimento econômico e social e no suporte às cadeias produtivas locais.

Restauração em Cuiabá:

Casarão de Bém-Bém – Escola de Música
Casa Barão de Melgaço – IHGMT
Casarão Irmã Dulce – Iphan
Casarão Rua Voluntários da Pátria esquina Eng. Ricardo Franco – Museu da Imagem e do Som
Casarão Rua Sete de Setembro – Casa do Patrimônio
Casarão a Rua Pedro Celestino, 79 – Escritório de Gestão do Centro Histórico
Casarão a Rua Pedro Celestino, 16 (esquina com a Rua Campo Grande – Creche)
Casarão a Rua Pedro Celestino, s/n – Posto Municipal de Apoio à Policia Militar
Casarão da Funai
Igreja Senhor dos Passos (Reportagem  Isabela Mercuri)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *