Pesquisas de popularidade de Temer e de intenção de votos são os principais destaques desta segunda(11). Confira essas e outras notícias na Coluna do JPM

Reprovação

Uma pesquisa Datafolha divulgada pelo site do jornal “Folha de S.Paulo” indica que o governo do presidente Michel Temer é reprovado por 82% dos entrevistados. O índice é ainda maior (12 pontos percentuais) que o registrado no levantamento anterior, em abril. O Datafolha ouviu 2.824 pessoas em 174 municípios entre os últimos dias 6 e 7 de junho. O resultado da pesquisa, de acordo com o site, é o seguinte: Ótimo ou bom: 3% Regular: 14% Ruim ou péssimo: 82%

Queda

A estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia continua em queda, enquanto a projeção para a inflação sobe. De acordo com o Boletim Focus, publicação divulgada na internet todas as semanas pelo Banco Central, a projeção para a expansão do PIB passou de 2,18% para 1,94%. Essa foi a sexta redução seguida.

Turismo

O setor de turismo do país fechou os primeiros quatro meses do ano com saldo positivo de 2.762 novos postos de trabalho, segundo o estudo divulgado pela CNC-Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Em abril, o setor de Turismo fechou com geração de 2.477 novos empregos, interrompendo uma sequência negativa verificada nos meses de fevereiro e março.

Intenção de voto

Outra pesquisa do Datafolha, também publicada pela Folha de São Paulo, mediu a intenção de voto para a eleição presidencial de 2018. Foram feitas 2.824 entrevistas entre 6 e 7 de junho, em 174 municípios. No cenário em que Lula seria candidato, o petista vence com 30%, seguido por Jair Bolsonaro (PSL) 17%, Marina Silva (Rede), 10%, Geraldo Alckmin (PSDB) 6%, Ciro Gomes (PDT) 6% e Alvaro Dias (Podemos)4%.

 Quase parando

O início da temporada de festas juninas e a proximidade da Copa do Mundo de futebol devem diminuir ainda mais o ritmo de trabalho no Congresso Nacional nesta semana. Mesmo assim, a Câmara dos Deputados pretende votar duas importantes propostas. Uma das propostas estabelece regras para o transporte rodoviário de cargas, negociadas com os caminhoneiros como moeda de troca para o fim da greve da categoria. A outra trata da criação de municípios, trazendo regras rígidas, como a realização de plebiscito, sem onerar a União.

Assistência à imigrantes

Já no Senado, o primeiro item da pauta é a MP que define ações de assistência a imigrantes oriundos de países que enfrentam graves crises, que foi editada por conta da imigração de venezuelanos em Roraima, prevê a ampliação das políticas de proteção social e atenção à saúde, entre outras. A MP estabelece o Comitê Federal de Assistência Emergencial para o acolhimento dos imigrantes. O texto prevê ainda que estados e municípios que receberem o fluxo migratório podem fazer contratações diretas.

Teto

O relator do projeto que regulamenta o teto salarial dos servidores públicos, Rubens Bueno (PPS-PR), vai apresentar uma proposta estabelecendo as regras para as verbas e gratificações que ultrapassem o teto constitucional. O teto, definido por lei, corresponde à remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), atualmente em R$ 33.763,00. Algumas categorias de servidores, no entanto, recebe valor acima disso,incorporando ao salário gratificações e outros tipos de verbas especiais. “É um valor muito grande para um país em crise econômica, em crise social, em crise moral”.

Imprensa livre

Em evento de lançamento do levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) com dados de associações de imprensa, contabilizando 2.373 processos contra veículos de comunicação, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, defendeu uma imprensa livre e útil para a sociedade. “Sem imprensa livre, a Justiça não funciona bem, o Estado não funciona bem”, disse a ministra, na abertura de um seminário para analisar formas de censura verificadas no país após a Constituição de 1988.

Reforma

O engenheiro Luiz Eduardo Visani, dono da construtora Visani Engenharia, disse em depoimento à Polícia Federal que sua empresa recebeu cerca de R$ 950 mil, em dinheiro vivo, da Argeplan para executar reforma na casa de Maristela Temer, filha do presidente Michel Temer. A Argeplan é uma empresa de engenharia cujo proprietário é o coronel aposentado João Baptista Lima Filho, amigo do presidente. É a primeira vez que um fornecedor da obra confirma aos investigadores detalhes sobre a participação da Argeplan na reforma da casa de Maristela Temer.

Caixa Econômica

A Polícia Federal concluiu as investigações da Operação Cui Bono, que apura fraudes na liberação de créditos pela Caixa Econômica Federal. Dezesseis pessoas foram indiciadas, entre políticos, operadores e ex-dirigentes da Caixa. O grupo é suspeito participar de um esquema de concessão de empréstimos da Caixa a empresas em troca de propina. Entre os indiciados, estão Geddel Vieira Lima (MDB-BA), Eduardo Cunha (MDB-RJ)  e Lúcio Funaro, doleiro e suposto operador financeiro do MDB.

Refinaria

O MPF ofereceu denúncia contra o operador financeiro Sérgio Boccaleti e mais seis pessoas pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro relacionados ao contrato de construção da casa de força da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. De acordo com os procuradores, os executivos do Grupo Alusa Engenharia Cesar Luiz de Godoy Pereira, José Lázaro Alves Rodrigues e Mário Costa Andrade Neto pagaram R$ 9,6 milhões em propina para que ex-gerentes da Petrobras praticassem atos em favor da empresa e se abstivessem de praticar atos contrários aos interesses da empreiteira durante a licitação.

Arquivamento

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, determinou o arquivamento de inquérito aberto para investigar o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) em um desdobramento da Operação Lava Jato. Barroso tomou a decisão mesmo após a PGR pedir que o caso fosse enviado para primeira instância da Justiça por não ter relação com o mandato. Ao analisar o caso, Barroso entendeu que a investigação começou há mais de um ano e o Ministério Público Federal não apontou elementos mínimos contra o parlamentar.

“Compadres”

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, também arquivou o inquérito que investigava os senadores Eduardo Braga (MDB) e Omar Aziz (PSD), ex-governadores do Amazonas. A ação apurava se Braga e Aziz tinham envolvimento em fraudes na construção da Ponte Rio Negro, em Manaus. Alexandre de Moraes mandou arquivar a investigação mesmo após a PGR entender que o inquérito deveria seguir e ser enviado à primeira instância da Justiça por não se referir a fatos relacionados aos mandatos dos senadores.

Parlamentarismo

Moraes também determinou o arquivamento da ação que questionava a PEC que institui o parlamentarismo no país. Ao mandar arquivar a ação, Moraes atendeu a um pedido dos autores da ação, entre os quais Jaques Wagner (PT-BA), ex-deputado, ex-ministro da Casa Civil e ex-governador da Bahia. A PEC foi apresentada em 1995 pelo então deputado Eduardo Jorge (à época do PT) e, desde 2001, está pronta para votação no plenário da Câmara. Mas devido ao trecho da Constituição que prevê que o sistema de governo só pode ser alterado por plebiscito, nunca foi votada.

Avanço

O presidente Michel Temer participou do lançamento da pedra fundamental do Reator Multipropósito Brasileiro e do início dos testes de integração dos turbogeradores do Laboratório de Geração de Energia Nucleoelétrica, no Centro Industrial Nuclear de Aramar, em Iperó (SP), interior de São Paulo. O reator vai produzir radioisótopos para a fabricação de medicamentos usados no tratamento de doenças nas áreas de cardiologia, oncologia, hematologia e neurologia.

Frase do dia

“Eu continuo acreditando no Brasil e acredito no Brasil em que o cidadão possa exercer a sua liberdade de maneira crítica, bem informada. E para isso nós precisamos das mídias, da imprensa livre e de todas as formas de uma comunicação cidadã”

Cármen Lúcia, presidente do STF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *