Destaque

Golpe no WhatsApp: Camisa da seleção brasileira de futebol é utilizada em campanha maliciosa

Publicado

na

Com a proximidade do campeonato mundial de futebol, que se inicia no próximo dia 14 de junho, os cibercriminosos brasileiros não perdem a oportunidade de disseminar golpes usando o tema do evento e, assim, atingir o maior número de vítimas possível. O alvo continua sendo usuários do WhatsApp, mas desta vez, a campanha maliciosa promete como brinde uma camisa oficial da Seleção Brasileira de Futebol, caso a mensagem seja compartilhada com até 30 amigos.

De acordo com a empresa de segurança Kaspersky Lab, o golpe chega até a vítima de 3 formas: encaminhado por um amigo (que acreditou no conteúdo da mensagem), por notificações maliciosas configuradas no navegador (seja desktop ou mobile) ou por grupos em que os usuários participam. Ao clicar no link, o usuário é direcionado para uma página, hospedada na Rússia, coincidentemente o país a receber o próximo mundial.

A falsa promoção já é ativada quando o usuário compartilha com três contatos, não sendo necessário acionar 30 pessoas. O que acontece na sequência depende do sistema operacional que o usuário possui no seu smartphone.

Leia Também:  Orçamento de 2021 é aprovado por unanimidade pelos vereadores de Cuiabá

Se for iOS, após vários redirecionamentos, será oferecido a instalação de aplicativos legítimos, mas que participam de esquemas “pay-per-install”, em que o criminoso ganha por instalação, inflando programas legítimos de apps e, assim ganhando dinheiro de maneira forçada. Já se o usuário possui o sistema Android – usado em 80% dos smartphones brasileiros – será oferecida a instalação de um aplicativo malicioso.

Para convencer o usuário, é exibida uma página falsa informando que o dispositivo está infectado e que é necessário baixar e instalar um app.

O aplicativo malicioso oferecido na campanha utiliza nomes randômicos, ou seja, a cada download terá um nome diferente. O usuário, ao instalá-lo, estará infectando seu smartphone Android com o Adware:AndroidOS.Dnotua, que irá utilizar o dispositivo de forma maliciosa, exibindo propagandas de forma agressiva, entre outras ações danosas.

Ligações com o Leste Europeu

O mais interessante dessa campanha maliciosa é sua clara ligação com o cibercrime do Leste Europeu, conhecido por desenvolver ataques avançados e vender suas ferramentas de ataques e alugar sua infraestrutura para grupos de cibercriminosos de outras partes do mundo. Nesse caso o ataque está utilizando domínios registrados e hospedados na Rússia, como o ru-promos.site, que também já hospedou diversas campanhas maliciosas escritas em russo.

Leia Também:  ADOÇÃO: Oito mil crianças esperam família; Portal disponibiliza guia para pretendentes

“A cooperação entre o cibercrime brasileiro e o do Leste Europeu não é nova, já acontece há alguns anos. Os brasileiros são clientes deles e, por lá, eles compram ferramentas de ataques e usam a infraestrutura para disseminar os ataques. As mensagens maliciosas dessa campanha se utilizam de domínios brasileiros e russos, escritas em português nativo, porém utilizando servidores de controle hospedados na Rússia”, afirma Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab no Brasil.

Por falar em WhatsApp, veja algumas imagens engraçadas para usar na rede social.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Governador e secretário de Saúde participam de ato de recebimento das vacinas do Ministério da Saúde

Publicado

na

A | A

O Governador Mauro Mendes e o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, participam nesta segunda-feira (18.01) do ato simbólico de recebimento das vacinas contra a Covid-19, realizado pelo Ministério da Saúde.

O ato está marcado para as 7 horas (horário de Brasília), em Guarulhos, no Estado de São Paulo. Na ocasião, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, deverá anunciar quando as vacinas contra a Covid-19 serão enviadas aos Estados para dar início à imunização da população.

Plano Estadual

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria Estadual da Saúde (SES-MT), trabalha em uma força tarefa para que a vacina contra a Covid-19 chegue aos municípios o mais rápido possível. A ação faz parte do Plano Estadual de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 em Mato Grosso e prevê, caso necessário, o apoio de seis aeronaves do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

Com o objetivo de promover a adequada logística da vacina, com segurança, efetividade e equidade, a SES vai ampliar a Rede de Frio Estadual e já viabiliza uma Central Estadual e mais quatro Centrais Regionais (Barra do Garças, Cáceres, Rondonópolis e Sinop), assim como a aquisição de equipamentos de refrigeração e frota adequada para distribuição terrestre. O investimento estimado é de R$ 2,2 milhões.

Leia Também:  Sebrae lança movimento para ampliar acesso à inovação no país

A escolta dos materiais até os 14 polos de distribuição será feita pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), além das Polícias Federal e Rodoviária Federal e o Ministério da Defesa. Nos casos em que for necessário, o Ciopaer disponibilizará sua frota aérea para dar celeridade à distribuição.

Nos próximos dias, os 141 municípios de Mato Grosso começam a receber as agulhas e seringas que já se encontram em estoque e que serão utilizadas no plano de vacinação contra a Covid-19. A SES também providenciou a aquisição suplementar de 6,5 mil seringas para o enfrentamento de vacinação, com investimento na ordem de R$ 2,8 milhões.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA