Tenda do Conto fortalece vínculo entre profissionais e usuários do SUS

O Escritório Regional de Saúde (ERS) de Sinop inova ao fazer uso da atividade Tenda do Conto nas capacitações em saúde mental para a Atenção Primária à Saúde dos 14 municípios da região Teles Pires.

Claudia Cristina Zuanazzi, bióloga e tutora do Projeto Itinerários do Saber, explica que a Tenda do Conto é uma estratégia que possibilita escuta, partilha, fortalecimento de vínculo entre profissionais e usuários e a promoção do autoconhecimento dos profissionais de saúde, buscando identidade enquanto grupo.

Além disso, tem o propósito de modificar os olhares dentro do processo de trabalho, aprendendo a observar, escutar e valorizar as histórias de vida, promover a saída do isolamento e apostar no protagonismo. “Ainda investe na resistência da cultura popular, nas revelações que surgem no encontro entre gerações, na influência da grupalidade sobre o indivíduo, na comunicação entre as singulares idades.

A Tenda do Conto é uma experiência desenvolvida na rede de saúde do município de Natal-RN como tecnologia de cuidado aos usuários da atenção básica à saúde e foi introduzida no estado do Mato Grosso pela turma de especialização em Educação Permanente em Saúde durante reunião da Comissão de Integração Ensino Serviço (CIES) da região Teles Pires.

A atividade, ressalta Claudia Zuanazzi, vem se constituindo em um dispositivo junto aos trabalhadores que frequentemente se reportam às histórias das pessoas denotando que há outra dinâmica nas relações interpessoais no trabalho, no momento das visitas domiciliares e dos atendimentos aos usuários.

“A tenda do conto surpreende sempre, é impossível prever o que vai acontecer no decorrer de cada encontro. A construção é ali e agora – trabalho vivo em ato”, cada história traz consigo o poder de nos religar ao universo da alma humana, quem escuta uma história está em companhia do narrador”.

“Consiste na solicitação prévia aos participantes, que tragam algo que represente um fato de sua história vivida no campo pessoal ou profissional, mobilizando em torno da procura do objeto, algo que desencadeie diálogos acerca de experiências passadas, esquecidas ou não compartilhadas, retalhos de diferentes cores e texturas, cada um a seu modo compondo a atividade”, detalha Claudia Zuanazzi.

O cenário é organizado em espaço que permita a reunião dos participantes, simulando uma sala de estar à moda antiga com uma mesa exibe os objetos variados. As cadeiras são postas em roda, mas uma delas ao lado da mesa, seduz mais intensamente os convidados: uma cadeira de balanço cuidadosamente coberta por uma manta que aquecerá os contadores de histórias daquele dia; aqueles que são narradores e autores de sua própria história.

“Atualmente, muitas das histórias ouvidas na Tenda do Conto são levadas para as rodas de estudos e subsidiam as discussões e Estudos de Caso e a elaboração de Projetos Terapêuticos Singulares”, observa a bióloga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *